Os equipamentos mais utilizados para o controle de temperatura à nível industrial são os controladores de temperatura (controladores microprocessados). Eles são capazes de ler sinais de sensores termopares, termorresistêncais tipo PT100, termistores ou transdutores de temperatura e possuem relés para controlar o sinal de saida.

Os controladores de temperatura, em sua maioria, leem um sinal de entrada emitido pelo sensor de temperatura, comparam com o setpoint do processo e emitem um sinal de saida.

O controle por PID (Proporcional, Integral e Derivado) são as variáveis calculadas durante o processo que permitem um controle de aquecimento sem oscilações, ou seja, o sinal é? filtrado? e é feito um controle fino até o Valor de Processo (PV) atingir o Valor de Setpoint. A saída do controlador de temperatura é responsável por enviar o sinal para aquecer ou resfriar o sistema. 

Por exemplo: Um termômetro de resistência tipo PT-100 com ligação à 3 fios é usado para medir a temperatura de um fluído em um sistema, esse sensor é acoplado à entrada do controlador de temperatura, que faz o monitoramento constante. O valor que chega à entrada é então, comparado com o valor de Setpoint ajustado previamente para o processo, e a partir dele, o controle de abertura e fechamento do relé ou controle PID é acionado".

Nota: informações obtidas na apostila de termometria, versão 2 de 2014, utilizada nos treinamentos do CTM.


Antes de falarmos sobre o serviço de calibração de controladores de temperatura (em alguns casos também chamados de pirômetros), é interessante saber as diferenças entre os tipos de calibrações que podem ser feitos em equipamentos que fazem o controle de temperatura:


-Calibração do indicador/controlador de temperatura: Calibra-se apenas o indicador de temperatura do equipamento. Dessa forma, garante-se apenas a conformidade do indicador/controlador de temperatura. É uma calibração "incompleta" pois não garante todo o sistema, mas possui um custo reduzido e atende razoavelmente certificações de ISO 9001.


-Calibração do sensor de temperatura: Calibra-se o sensor de temperatura separadamente do sistema. É útil quando é comum a reposição ou troca dos sensores. Dessa forma, é necessário calibrar o indicador de temperatura separadamente, para que seja garantida a malha (indicador + sensor).


-Calibração da malha/termômetro digital: Calibra-se o conjunto indicador + sensor de temperatura, garantindo assim a conformidade nas indicações de temperatura pelo equipamento.


-Qualificação térmica: É um estudo onde são utilizados pelo menos 9 sensores de temperatura distribuídos no interior da câmara térmica (estufa, forno, geladeira, etc), com um tempo mínimo de teste de 30 minutos (após a estabilização da temperatura), em cada ponto calibrado. Com a qualificação térmica é possível saber a temperatura em cada posição no interior da câmara térmica.


O CTM realiza calibrações em controladores de temperatura e também qualificações térmicas em estufas, muflas, fornos, geladeiras, entre outros. Emitimos certificados de calibração e qualificação térmica com o selo RBC/Inmetro, ou seja, de acordo com a norma NBR ISO/IEC 17025. Verifique sempre se o laboratório possui certificações que comprovem sua competência.


O escopo acreditado RBC do CTM pode ser conferido aqui.